O Amor E Suas Nuances.

05/02/2015 16:48

Quantos homens arrumam amantes? Parceiras sexuais e as vezes com um tantinho de intimidade? Cultural ou não, parece haver em muitos homens uma insatisfação. Seria essa insatisfação da mulher também, porém ela expressaria de forma diferente? Quando uma mulher grávida ou alguns anos depois de ter seus filhos descobre que seu parceiro não tem olhos só pra ela, descobre que não existe um contrato de exclusividade? Sua ira, seu ódio infelizmente cairá sobre seus filhos, produto do homem que não pôde amá-la e desejá-la como idealizou. Assim, surgem os filhos amaldiçoados. Quantas mulheres lindas fisicamente e até emocionalmente não conseguem ter o olhar e desejo de seu companheiro somente para si? Revoltadas, indignadas e cheias de caprichos vingam-se como pode, destruindo tudo à sua volta. O ser humano vive pouco o amor, é a falta do amor, que cria tantos poetas, escritores, artistas, composições, filmes, tudo para tentar compensar a falta de amor que vivem as pessoas. Para alguns, o outro nunca será suficientemente, nunca será o bastante e partirá em busca de outros pseudo-amores. Será que ao invés de monogamia as pessoas passassem a viver a poligamia ou o poliamor, essas raivas, traições e sentimentos de abandono e rejeição deixariam de existir ou diminuiriam? Para o outro e não sabemos totalmente sobre o outro, teremos que aceitar que nunca seremos o bastante ou o suficiente para o nosso objeto de amor e isso dói, gera confusão e mágoa. E toda sorte de ressentimentos e destrutividade. Para alguns, só as puladas de cerca não é o suficiente, necessitando envolver-se emocionalmente com um número maior de pessoas. Para outros é o bastante, e interessante que parece, não é certeza, ser mais da necessidade do homem do que da mulher. Talvez porque as mulheres tenham filhos e possam amá-los ou destruí-los? Homens embora sejam pais, não geraram em seu ventre a vida, em parte há talvez a biologia atrapalhando e criando tantas confusões sobre vidas afetivas. Cada dia que atendo casais em separação, vejo um mundo de idealizações, egoísmo, descompromisso e sofrimento. Ser deixado (a), causa baixa auto-estima, a pessoa se pergunta o que tem de errado com ela e talvez esteja fazendo a pergunta errada ou fazendo uma pergunta incompleta. Deve-se perguntar o que a convenceu de que seu companheiro (a) só teria olhos para ela? É doloroso quando vemos que nossos companheiros estão trocando olhares com outras pessoas e muitas vezes sendo correspondidos, causando o ciúmes e a raiva, por naquele momento conscientizar-se que outras pessoas podem chamar a atenção de seu/sua companheiro (a). E que o contrato de exclusividade ser mais uma idealização do que um comprometimento com a relação. E neste processo existe a maturidade que vem com tempo e muitas vezes com a ajuda de psicoterapia. Relacionamentos afetivos são um desafio para muitos terapeutas. Existem tantas particularidades para ser observada e levada em conta que não dá pra dizer que todos vão passar pela mesma causa de aflição afetiva. As causas são diversas. O que fazer? Refletir constantemente sobre seus valores, ética, desejos, motivações, idealizações, anseios, fantasias, projeções, faltas psíquicas, sentimento de abandono e rejeição, aceitação de limites, aceitação que o outro não pensa e nem concebe o mundo igual a você, entre muitos outros pontos a serem considerados. Por isso, fazer terapia ajuda. Pois, um profissional pode olhar para estes e muitos outros pontos junto a você e assim construir alianças mais saudáveis e dentro do possível.

Contato

Núcleo Buonani Rua Carlos Weber, 1280.
Sala 03.
Vila Leopoldina, São Paulo.
CEP 05303-000
(11) 9.7633-1907

(11) 9.5636-8034 Whats.
buonani@gmail.com